64 regras para uma alimentação saudável

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

Aqui no Pequeno Gourmet a gente costuma falar que para a alimentação das crianças ser saudável, o melhor é evitar os produtos industrializados e investir nos naturais e nos feitos em casa. E essa ideia também é compartilhada pelo norte-americano Michael Pollan! No livro “Regras da Comida” (Intrínsica, 2010), Pollan, que é jornalista, mostra o resultado de uma investigação que realizou sobre dieta e boa saúde. Para exemplificar de uma maneira clara como é a alimentação saudável, o autor criou 64 regrinhas, que o Pequeno Gourmet considera super válidas também para os pequenos, olha só:

  1. Coma comida.
  2. Não ofereça nada que sua avó não reconheceria como comida.
  3. Evite produtos alimentares que contenham ingredientes, que nenhum ser humano comum teria na dispensa.
  4. Evite produtos alimentícios que contenham xarope de milho com alto teor de frutose.
  5. Evite alimentos que contenham alguma forma de açúcar (ou adoçante) listada entre os três primeiros ingredientes.
  6. Evite produtos alimentícios que contenham mais de cinco ingredientes.
  7. Evite produtos alimentícios que contenham ingredientes que um aluno do terceiro ano não consiga pronunciar.
  8. Evite produtos alimentícios com propaganda de propriedades saudáveis.
  9. Evite produtos alimentícios que tenham no nome os termos “light” ou “baixo teor de gordura” ou “sem gordura”.
  10. Evite alimentos que estão fingindo ser o que não são.
  11. Evite alimentos que você vê anunciados na televisão.
  12. Na hora das compras, os pais devem fugir dos produtos que têm destaque e ficam no centro do supermercado, os corredores ao longo das paredes costumam ter alimentos mais saudáveis.
  13. Só coma alimentos que acabarão apodrecendo.
  14. Coma alimentos feitos com ingredientes que você pode imaginar crus ou crescendo na natureza.
  15. Sempre que puderem, os adultos devem fugir dos supermercados.
  16. A melhor opção é comprar lanches na feira.
  17. Só ofereça ao pequeno alimentos que tenham sido preparados por humanos.
  18. Não ingira alimentos preparados em locais nos quais se exige que todo mundo use touca cirúrgica.
  19. Se veio de um vegetal, coma; se foi fabricado, não coma.
  20. Não é comida se chegou pela janela do carro do papai ou da mamãe.
  21. Não é comida se tem o mesmo nome em todas as línguas.
  22. Ofereça  principalmente vegetais. Sobretudo folhas.
  23. Trate a carne como um ingrediente extra ou um alimento para ocasiões especiais.
  24. Comer o que fica em pé numa perna só (cogumelos e vegetais) é melhor que comer o que fica em pé em duas patas (aves), que é melhor que comer o que fica em pé em quatro patas (vacas, porcos e outros mamíferos).
  25. Faça refeições coloridas.
  26. Beba a água do espinafre.
  27. Coma animais que se alimentaram bem.
  28. Se tiver espaço, compre um freezer.
  29. Coma como um onívoro.
  30. Coma alimentos cultivados em solo saudável.
  31. Coma alimentos silvestres quando puder.
  32. Não se esqueça dos peixinhos oleosos.
  33. Coma alguns alimentos que foram pré-digeridos por bactérias ou fungos.
  34. Adoce ou salgue sua comida você mesmo.
  35. Coma alimentos doces como você os encontra na natureza.
  36. Não coma cereais matinais que alterem a cor do leite.
  37. “Quanto mais branco o pão, mais depressa você vai para o caixão”.
  38. Dê preferência aos tipos de óleo e de grãos tradicionalmente moídos em mós (conjunto de pedras usadas para moer).
  39. Coma todas as besteiras que quiser, desde que sejam feitas em casa.
  40. Seja o tipo de pessoa que toma suplementos – depois retire os suplementos. (Essa regra não vale para os pequenos!)
  41. Coma mais como os franceses. Ou os japoneses. Ou os italianos. Ou os gregos.
  42. Olhe com ceticismo para os alimentos não tradicionais.
  43. Tome um copo de vinho durante o jantar. (Essa não vale para as crianças!)
  44. Pague mais, coma menos.
  45. …Coma menos.
  46. Pare de comer antes de se sentir satisfeito.
  47. Coma quando tiver fome, não quando estiver entediado.
  48. Consulte sua barriga.
  49. Coma devagar.
  50. “O banquete está na primeira garfada.”
  51. Faça o pequeno passar o tempo curtindo uma refeição, o mesmo que você investiu em prepará-la.
  52. Compre pratos e copos menores.
  53. Sirva-se de uma boa porção e não repita.
  54. “Coma como um rei no café da manhã, como um príncipe no almoço e como um mendigo no jantar.”
  55. Coma refeições.
  56. Restrinja seus lanches a alimentos vegetais não processados.
  57. Não compre seu combustível no mesmo lugar em que compra para o seu carro.
  58. Só coma à mesa.
  59. Tente não comer sozinho, comer em família é sempre melhor!
  60. Trate as guloseimas como guloseimas.
  61. Deixe alguma coisa no prato.
  62. Plante uma horta para família, se tiver espaço, e uma jardineira na janela, se não tiver.
  63. Cozinhe para o filhote.
  64. Quebre as regras de vez em quando.

Legal, não é? Claro que a gente sabe que o Michael pode ser muito exagerado em algumas regras e que existem situações em que o industrializado pode ser a única saída. O melhor é tentar evitá-lo na maioria das vezes e sempre preparar as refeições em casa. Afinal, um bolo feito junto com o filhote fica muito mais gostoso do que o comprado no supermercado!

 

Fonte: http://www.huffpostbrasil.com/2017/03/20/as-regras-essenciais-de-michael-pollan-para-uma-alimentacao-simp_a_21903802/ 

*O Pequeno Gourmet recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no Portal

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER