Cozido, refogado, grelhado ou assado?

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

Na casa do Pequeno Gourmet, a mamãe Camila Verdeja tem o cuidado de escolher ingredientes fresquinhos e de sempre variar o modo de preparo. Na formação do paladar das crianças, quanto maior for a variedade de alimentos e a maneira como os preparamos, melhor. Assim os filhotes são expostos a novos sabores e texturas. A nutricionista Fernanda Saccoletto listou as diferentes formas de cozinhar e os benefícios de cada uma para você escolher o que mais combina com o que tem na sua geladeira e com o seu estado de espírito.

Cozinhar na água

Feitos dessa maneira, os alimentos preservam grande parte dos nutrientes e não precisam da gordura do óleo ou da manteiga.

Método: para fazer um caldo, por exemplo, coloque os alimentos em uma panela funda, encha de água e cozinhe em fogo baixo, isso permitirá manter todos os sabores dos alimentos. Se você optar por colocar os mesmo alimentos em uma panela com água fervendo, o caldo ficará menos saboroso. Mas não irá alterar o cozimento, apenas o sabor.

Melhores alimentos: carnes, frango e legumes.

Benefício: todas as carnes e legumes não ganham gorduras a mais quando são feitos dessa maneira. Esse também é um método prático para quem está começando a cozinhar.

Cozinhar à vapor

Com esse método, o papá da família não perde nenhum nutriente!

Método: a maneira mais fácil é com o suporte específico para o cozimento à vapor. São duas panelas que se encaixam, na de baixo fica a água fervendo e, na de cima, os alimentos a serem cozidos. Se você não tiver a panela adequada, vale fazer com uma panela maior para colocar a água fervente e outra em cima (com os alimentos) que deverá ficar bem apoiada na de baixo. Um escorredor de macarrão para a panela de cima pode funcionar. O tempero deve ser feito no final do preparo.

Melhores alimentos para cozinhar no vapor: legumes e alimentos mais delicados como peixe, por exemplo, o linguado.

Benefício: quando usamos as temperaturas mais baixas os alimentos perdem poucos, ou quase nenhum, nutriente. Os legumes também ficam mais al dente, o que preserva as fibras.

Refogar

Cada alimento leva um tempo diferente para ser refogado. Em geral, quanto maior, mais tempo. É importante que todos os pedaços de um ingrediente a serem refogados tenham o mesmo tamanho.

Método: refogar é fritar os alimentos mexendo o tempo inteiro e rapidamente com apenas um pouco de gordura quente para eles ganharem cor, sabor e textura. O importante é não fritar por imersão, isto é, não cobrir os alimentos com a gordura (que pode ser óleo, azeite ou manteiga). Use a gordura apenas o suficiente para envolver os alimentos a serem refogados.

Melhores Alimentosabobrinha, chuchu, tomate, berinjela, e verduras como espinafre, rúcula, almeirão. Carne moída e frango.

Benefício: por terem pouca gordura adicionada é um método bem saudável. Os alimentos mantém a preservação das fibras e podem ficar mais al dente ou mais macios conforme a preferência da família.

Fritar

Aquela receita que você tanto quer preparar é usando fritura? Não precisa desistir dela por isso. 

Método: coloque o óleo na panela ou frigideira e espere até ele esquentar bem (para ver se está no ponto certo, leve um pedaço do alimento para a panela e verifique se ele está borbulhando. Se estiver, o óleo estará aquecido na medida certa). Em seguida, ponha os alimentos (que devem estar secos) na panela e retire-os assim que ficarem dourados. Se a receita permitir, utilize fritadeiras elétricas (elas não precisam do óleo).

Melhores alimentos para fritar: mandioquinha, batata, berinjela à milanesa, frango à passarinho.

Benefícios: quando o óleo é colocado na frigideira, pode liberar radicais livres, que fazem mal ao nosso corpo e causam inflamações. Para amenizar esses efeitos, o melhor é optar por óleos com bom ponto de fumaça, que demoram mais para oxidar, como o de milho, soja ou amendoim.

Assar

Você sabia que esse tipo de preparo nem sempre é tão saudável? Quando o pão ou a batata, por exemplo, são assados até ficarem bem queimados, podem liberar a acrilamida. Alguns cientistas consideram que este composto possa ser cancerígeno. Mas não há estudos concluídos a esse respeito. Como por aqui a gente gosta sempre de se prevenir, tire o pãozinho do forno assim que ele dourar (não deixe ficar escuro) e a batatinha quando ela já estiver mole e com a cor amarela clarinha.

Método: coloque os alimentos cortados e temperados em uma forma untada e leve ao forno. O tempo para assar depende de cada receita, as carnes costumam ficar mais, enquanto os legumes são assados rapidamente.  

Melhores alimentos para assar: carnes, peixes, frangos, legumes, pães e bolos.

Benefício: os alimentos ficam mais macios, com pouca gordura adicionada e um sabor mais intenso, se comparado aos fritos e grelhados.

Grelhar
O churrasco do papai pode servir a família toda, inclusive os pequenos. O ponto da carne vai do gosto da família e os legumes devem ser grelhados até ficarem macios. Só cuidado para não tostar demais!

Método: grelhar os alimentos é cozinhá-los com calor seco e direto. Você pode fazer isso usando a grelha do forno, da churrasqueira ou também grelhar na frigideira. Tempere o alimento e vire quando estiver dourado.

Melhores alimentos para grelhar: carne, peixe, frango, legumes.

Benefícios: faz bem porque usa-se pouca gordura (é possível grelhar um alimento na frigideira até sem óleo nenhum). Ou se precisar colocar óleo ou azeite, a quantidade deve ser suficiente apenas para untar a panela.

 

Veja mais:

Cozinhar com azeite faz bem para o seu filhote

Lugar de criança é na cozinha

Dicas para manter o gás seguro quando cozinhamos com as crianças

*O Pequeno Gourmet recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no Portal

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER