Comedores seletivos: pediatra esclarece quais são os prejuízos para a saúde das crianças

 

Seu filho costuma insistir em comer sempre o mesmo prato e é resistente a novos sabores? Essa é uma das características dos comedores seletivos. Para esclarecer quais são os prejuízos para a saúde das crianças que têm uma dieta restrita e como os pais podem ajudar a melhorar essa situação, o Pequeno Gourmet conversou com o pediatra Dr. Cesar Augusto Tavares Moreira.

Pequeno Gourmet: Quais os impactos para a saúde das crianças que são comedoras seletivas?

Dr. Cesar Augusto: Vários aspectos podem ser considerados, os mais importantes são os nutricionais, que acontecem a médio e a longo prazo, e os emocionais. A deficiência nutricional variada ocorre dependendo do que a criança come e do quanto a dieta dela é monótona. Já emocionalmente os prejuízos podem ser de desgaste familiar. Em um ambiente sempre tenso, principalmente nos horários das refeições, o que é ruim, pode ocorrer uma grande ansiedade em todos que estão na mesa.

Pequeno Gourmet: Ao restringir demais a dieta, a criança pode sofrer deficiência de diversos nutrientes, desencadeando outros problemas de saúde. Quais seriam eles?

Dr. Cesar Augusto: Isso depende do quão variada é a dieta. Quanto mais ela for restrita, pior. É possível ver casos de anemia, desnutrição e déficit de crescimento, entre outros problemas.

Pequeno Gourmet: Há alguma semelhança entre um comedor seletivo e problemas como anorexia ou bulimia?

Dr. Cesar Augusto: Pode haver, dependendo da etiologia do transtorno alimentar. Mas, na maioria das vezes isso não acontece. O quadro, em geral, começa na primeira infância e tem diversas causas como: dietas “sem graça”, ansiedade dos pais quanto a quantidade que a criança deve comer e desatenção dos familiares com a criança em outros horários do dia, por exemplo.

Pequeno Gourmet: Como a família – pai, mãe, avós – e cuidadores, podem apresentar o alimento e ajudar a evitar a seletividade alimentar da criança?

Dr. Cesar Augusto: Devemos lembrar que a criança, a partir dos 2 anos, frequentemente come menos do que antes, porque sua velocidade de crescimento diminui. O prato de comida deve ser atraente, afinal, todos nós gostamos de ir a um restaurante e comer um prato bem apresentado, bonito e com aromas atrativos. E é muito importante que a família dê o bom exemplo. Não adianta eu falar que brócolis faz bem e é gostoso, se eu mesmo não como.

Pequeno Gourmet: No período de desmame, qual é o melhor jeito de introduzir os alimentos para as crianças?

Dr. Cesar Augusto: A transição alimentar ocorre antes mesmo do início do desmame, quando a mãe ingere alimentos variados e o bebê sente os aromas destes alimentos pelo ar e também pelo próprio leite materno. O desmame é um processo lento e gradual, que se inicia aos 6 meses. À medida que variados alimentos são introduzidos na dieta do bebê, o aleitamento materno vai sendo lentamente substituído.

Pequeno Gourmet: Como é possível identificar que o filho é um comedor seletivo?

Dr. Cesar Augusto: Criança não tem “frescura”. Ela pode não gostar de determinados alimentos, pode não ter bons exemplos, pode usar a hora da refeição para ter o que necessita, como atenção… Acredito que iniciativas como o Pequeno Gourmet são excelentes formas de ajudar os pais com este problema. Receitas saborosas e bem apresentadas são importantes nesse processo. Incentivar os pequenos a experimentar os alimentos, sem ter a obrigação de gostar, é um bom caminho.

Sobre o entrevistado
Nome: Dr. Cesar Augusto Tavares Moreira
Profissão: Pediatra
Contato:

Tel.: (11) 3022-2195


iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER