Como servir lichia, de forma segura, para as crianças

Saborosa e nutritiva a lichia costuma ser uma boa opção de sobremesa ou lanche da tarde. Mas, uma notícia no começo desse ano assustou os papais que costumam servir essa frutinha para o filhote.

Na região de Bihar, na Índia, onde o cultivo da lichia é comum, cerca de 100 crianças morreram, após uma doença misteriosa provocar  convulsões e perda de consciência. Por algum tempo, cientistas tentaram descobrir o motivo, até que chegaram a uma recente conclusão. De acordo com um estudo científico publicado na revista “The Lancet” , a razão seria a de que essas crianças consumiam exclusivamente lichia no jantar, e a fruta teria a capacidade de reduzir a glicemia dos pequenos.

Para entender se a lichia pode ser mesmo perigosa para à saúde dos filhotes, o Pequeno Gourmet conversou com a Dra. Andreia Guarnieri, médica nutróloga, especialista em nutrologia e em Terapia Nutricional Enteral e Parental:

Pequeno Gourmet: A lichia pode mesmo ser perigosa e inibir a capacidade do organismo de produzir glicose?

Dra. Andreia Guarnieri: A lichia tem duas substâncias naturais, a hipoglicina e a metilenociclopropliglicino (MCPG), que têm o potencial de reduzir a glicemia, ou dependendo da situação, levar a hipoglicemia. Elas têm essa capacidade de baixar os níveis de açúcar no sangue, graças a interrupção da gliconeogênese (processo do metabolismo onde precursores como lactato, piruvato, glicerol e aminoácidos são convertidos em glicose para fornecer energia ao corpo e principalmente ao cérebro) e da beta oxidação de ácidos graxos, que bloqueia a obtenção de energia a partir  dos ácidos graxos.

PG: No caso relatado na Índia, por conta dessa ação da lichia, as crianças ficaram doentes e algumas até morreram. Isso realmente pode acontecer?

Dra. Andreia: Esse efeito da lichia pode até ser benéfico, dependendo do contexto e patologia, mas no caso da Índia, de crianças mal alimentadas, essa ação pode mesmo ser fatal. Vale ressaltar que nesse episódio em específico, além de as crianças serem desnutridas, elas também consumiram exageradamente a fruta, incluindo frutos verdes e estragados, já que conseguiam se alimentar só das “sobras” das grandes colheitas.

PG: Por medo, ou incerteza, alguns pais retiraram a lichia do cardápio das crianças. Essa é uma atitude correta?

Dra. Andreia: Não é necessário excluir a lichia do cardápio das crianças bem nutridas. Essa é uma fruta saborosa e muito nutritiva e seu consumo deve ser incentivado e estimulado. No caso das crianças indianas, o estudo publicado na “Lancet” relatou que elas morreram porque comeram lichia de estômago vazio. Essas crianças vinham de famílias com condições econômicas muito limitadas, com poucos alimentos, que nem mesmo jantavam e acabavam se alimentando só de lichia e de maneira exagerada, incluindo as frutas em mau estado e verdes. As autoridades locais indianas passaram a orientar os pais de que se certifiquem que seus filhos recebam a refeição noturna e controlem o consumo de lichia. Ou seja, comer a fruta não está proibido para as crianças, porém elas devem estar bem alimentadas e não devem consumir porções exageradas.

PG: A partir de que idade os pais podem oferecer a lichia para as crianças?

Dra. Andreia: O mais adequado é passar a oferecer a lichia, em pequena quantidade, a partir apenas de 1 ano de idade, quando a criança já come uma maior variedade de outros alimentos e frutas. Lembrando que a lichia não é uma fruta tóxica, mas as crianças desnutridas devem ter o consumo muito restrito, já que a fruta em grande quantidade pode “baixar” a glicose no sangue. O ideal é que se faça todas as refeições, e que seja observado qualquer sintoma estranho.

PG: Quais nutrientes da lichia podem ajudar no desenvolvimento das crianças?

Dra. Andreia: A lichia é fonte de carboidratos e minerais como o cobre, fósforo, potássio, magnésio e zinco. Também conta com vitaminas como a C , que ajuda no sistema imunológico, melhora a absorção do ferro, traz maior resistência nos ossos e previne problemas oftalmológicos; e do complexo B , fundamental para o sistema nervoso central e para a formação das nossas células. A fruta é ainda uma excelente fonte de substâncias fenólicas (como antocianinas e os flavonóides), que têm grande ação antioxidante, anti inflamatória e promove ação neuroprotetora.  Além de tudo isso, ela também tem a capacidade de melhorar quadros de diarreia.

PG: As crianças diabéticas podem consumir lichia?

Dra. Andreia: Segundo os últimos estudos, até o momento, oferecer uma quantidade limitada deste fruto para crianças saudáveis e bem nutridas (sem deficiências nutricionais) é seguro e deve ser feito, incluindo as crianças diabéticas. Desde que se assegure que a alimentação seja a mais equilibrada possível e se mantenha as refeições principais.

PG: Qual é a melhor maneira de servir a lichia?

Dra. Andreia: Escolha a lichia madura e lave bem a casca antes de abrir. O melhor momento para consumir a fruta é depois das refeições, evitando servir logo de manhã e em jejum. Os adultos devem não devem comer mais do que seis frutas de cada vez e para as crianças essa quantidade deve ser ainda menor, de preferência menos da metade.

 

Sobre o entrevistado
Nome: Dra. Andreia Guarnieri
Profissão: Médica Nutróloga. CRM 120807 SP. RQE 59725
Contato:

Fanpage: Nutrologiaemfoco

Site:  www.draandreiaguarnieri.com.br


Sobre:
  • Especialista em Nutrologia pela ABRAN
  • Especialista em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral pela SBNPE
  • Especialista em acupuntura

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER