O “Papai Pop” também cuida da alimentação das suas filhas!

Alto, barbudo e de risada gostosa, o “Papai Pop”, Marcos Piangers, escreveu vários livros sobre a sua experiência como pai da Anita, 12, e da Aurora, 5 anos. Muito conhecido nas redes sociais e pelas palestras inspiradoras, ele acredita que ser pai é ter a chance de se tornar uma pessoa melhor, de dar o exemplo e deixar os filhos preparados para o mundo que você quer no futuro. Mas, para isso, tem que participar e querer de verdade. Perceber que alguns afazeres podem ser tirados da agenda, para ter mais tempo, é fundamental. E a alimentação dá essa chance. No almoço, no jantar ou no café da manhã, você pode desligar o celular e a televisão para dar mais atenção aos filhos. Confira agora por que esse papai é realmente pop!

Pequeno Gourmet: Quando você tinha 13 anos, escreveu, junto com sua irmã e sua mãe, a coleção Hortolândia e Frutolândia, livrinhos que incentivam a alimentação saudável das crianças. O que levou você nessa fase a se preocupar com o que estava no prato de outros pequenos?

Marcos Piangers: Minha mãe é nutricionista e em casa a questão da alimentação saudável foi sempre assunto. Quando ela foi chamada para escrever esses livros, abraçamos a ideia com naturalidade. A ideia com essa coleção era mesmo de aproximar as crianças da alimentação saudável, mesmo que naquela época eu não tivesse muito essa noção. Foi uma educação que me acompanha até hoje. Minha esposa também é entusiasta da alimentação saudável, orgânica e funcional. E tinha um pouquinho de tudo isso lá no Hortolândia e Frutolândia.

Pequeno Gourmet: E você levou essa ideia de alimentação saudável para sua casa?

Marcos Piangers: Sim. Acho que esse entorno nos influencia muito. Eu ter minha mãe, esposa e amigos próximos que têm a noção de que tudo o que a gente come tem um impacto importante sobre o nosso corpo faz diferença. Tenho a ideia de que se alimentar bem é ter uma vida feliz. Ver as consequências de uma alimentação errada pode demorar, e as pessoas são muito imediatistas. Aqui em casa a gente nunca tomou refrigerante, temos restrições em relação a doces e sempre tentamos comer uma comida mais orgânica, funcional e de origens confiáveis. Uma alimentação que faz bem e que, principalmente, não venha cobrar a conta mais lá para a frente.

Pequeno Gourmet: Você participou de uma recente campanha, que a gente até mostrou no Pequeno Gourmet, em que colocava uma máquina de frutas no pátio de um colégio. Como foi essa experiência?

Marcos Piangers: O mais legal dessa ação que fiz para a Unimed foi perceber que as crianças se sentiram motivadas em relação à alimentação saudável e às frutas. O que aconteceu foi que no momento em que você embala os produtos saudáveis, os coloca em uma máquina e cria brincadeiras, estimula o consumo. As crianças ficaram desesperadas para comer pera e maçã! Foi muito interessante ver como a construção do marketing, que é muito utilizada para os produtos não saudáveis, pode também ser usada nesse tipo de alimento. Isso tudo tem impactos claros no comportamento dos pequenos. Infelizmente no colégio em que fomos não tinha venda de frutas, e se os alunos quisessem algo, deveriam se contentar com salgadinhos ou comida plastificada.

Pequeno Gourmet: Você acha que falta incentivo para uma alimentação saudável por parte das escolas e dos pais?

Marcos Piangers: Sem dúvida. Falta esse incentivo dos dois lados. É muito comum tomar refrigerante, comer doce… Ter uma refeição não saudável é hoje em dia, infelizmente, quase um padrão na maioria das casas. Mas falar sobre esse assunto, mesmo que possa parecer chato ou incômodo, já faz com que as pessoas criem uma percepção de que a obesidade e o diabetes infantil são realidades para quem se alimenta mal. E essa educação começa em casa e também na escola.

Pequeno Gourmet: Como você cuida da alimentação das suas filhas?

Marcos Piangers: Quem cozinha aqui em casa é minha esposa, e minhas filhas costumam participar muitas vezes desse momento. Elas adoram estar perto e se relacionarem com os alimentos. Quando fazemos as refeições juntos, temos o costume de valorizar a experimentação. Sempre que viajamos para um lugar diferente temos o desafio de provar um prato novo. Viajamos para Fortaleza, e elas me desafiaram a provar um prato novo por dia, e eu também fiz o mesmo com elas. Foi divertido porque elas me faziam comer coisas malucas e, ao mesmo tempo, estavam provando alimentos diferentes. Isso torna o paladar delas mais sofisticado e mais aberto a novidades, que na maioria das vezes são saudáveis.

Pequeno Gourmet: Por aqui a gente sempre fala que a alimentação do papai e da mamãe tem forte influência no pratinho das crianças. Como você procura dar o bom exemplo para suas meninas?

Marcos Piangers: Por a gente comer de maneira mais cuidadosa, elas foram percebendo algumas diferenças em relação a outras casas. Eu me lembro que, quando a Anita tinha 6 anos, tomávamos sempre muito suco verde em casa, e ela percebia que os amigos bebiam só refrigerante. Um dia, ela me disse que o sonho dela era entrar na festa dos coleguinhas e encher as garrafas de refrigerante com suco verde, porque, assim, as crianças perceberiam o quanto essa bebida era muito mais gostosa. Ou seja, a nossa influência na alimentação dela era tão clara a ponto de ela querer transformar o paladar de outras crianças e mostrar que aquele suco era mais gostoso do que a bebida industrializada. Por aqui, também falamos o tempo todo sobre comida e sobre as consequências de conhecer bem de onde ela vem.

Pequeno Gourmet: Que tipo de conselho você daria para os pais que querem participar mais da criação dos seus filhos?

Marcos Piangers: Poxa vida, cara, você teve um filho! Essa é a sua chance de se reconectar com uma série de encantamentos e felicidades que você tinha quando era criança e que, com o tempo, vai perdendo. Ter um filho é ter a chance de ser uma pessoa melhor, de dar o exemplo e deixar essa pessoa mais legal para o mundo que você quer no futuro. Minha sugestão para você participar é querer de verdade. Muitos pais dizem que querem, mas preferem ficar vendo futebol, tomando cerveja e saindo com os amigos. Você tem que começar a fazer uma hierarquia na sua agenda e perceber que alguns afazeres e coisas podem ser tiradas, para que você tenha mais tempo de ser participativo e carinhoso com os seus filhos. A alimentação nos dá uma dessas chances. No almoço, no jantar ou no café da manhã, você pode estar desligado do celular e da televisão para dar atenção e refletir sobre o amor familiar.

Foto: Gisele Sauer

Veja mais:

Mamãe, o meu prato é igual ao seu e ao do papai também!

O menu do papai

Comer em família faz mesmo toda a diferença

Sobre o entrevistado
Nome: Marcos Piangers
Profissão: escritor e especialista em novas tecnologias

Sobre:

Autor do best-seller O Papai é Pop, com mais de 150 mil cópias vendidas e lançado em Portugal, Espanha, Inglaterra e EUA. É especialista em novas tecnologias, criatividade, inovação e uma das maiores referências sobre paternidade do país. Já deu aulas e palestras para os maiores eventos e empresas nacionais, além de ser duas vezes palestrante do TEDx. Seus vídeos já ultrapassaram a marca de 100 milhões de views no Facebook.

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER