Mastigação: benefícios para os pais e os filhotes

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

O Pequeno Gourmet começa hoje uma nova série: vamos falar ao longo dos meses de abril e maio, sobre a mastigação e a importância desse ato, desde a amamentação, introdução alimentar da criança e inclusive na vida adulta. O benefício para a fala, a digestão, a saúde bucal, o método BLW, dicas de como estimular a mastigar corretamente e receitas para ajudar nesse processo.

Conversamos com o Dr. Jona Haertel, médico homeopata, odontólogo e especialista em medicina Naturista, para entender sobre a importância da mastigação em todas as idades. E descobrimos que é na boca que acontece a pré-digestão. Quando mastigamos, o estômago inicia a produção do ácido clorídrico, que o prepara para receber o bolo alimentar. Por isso é tão importante que o processo da mastigação seja feito corretamente. Melhor ainda é quando os pais comem devagar e prestam atenção no ato de mastigar para poderem passar esse exemplo para os filhos.

Muitos adultos, no entanto, e até mesmo algumas crianças acabam comendo rápido para voltarem aos seus afazeres, seja um trabalho ou uma brincadeira. Mas é desde a infância que devemos aprender a realizar as refeições tranquilamente, mastigando com calma e saboreando os alimentos.

A boa mastigação

O ato de mastigar gradual e lentamente transforma os alimentos sólidos em pasta e, ao misturar os alimentos com a saliva, inicia-se o processo da digestão. Segundo o Dr. Jona, a saliva tem a capacidade de neutralizar a acidez bucal, formada a partir da fermentação de restos alimentares, pelas bactérias cariogênicas no meio bucal. A principal enzima na saliva é a ptialina que, além de conter imunoglobulina secretora A (IGA) protege o organismo contra vírus e bactérias. É a saliva bacteriostática e bactericida, que inibe o crescimento da lisozima, responsável principal pela formação da cárie. Ao mastigar corretamente, também facilitamos o processo de absorção dos nutrientes contidos nos alimentos. Mais ainda: saboreamos e lubrificamos os alimentos para chegarem ao estômago gerando um esvaziamento mais rápido desse órgão, o que também facilita a digestão.

O que acontece se não mastigar direito

A digestão corre o risco de ser prejudicada, provocando azia, fermentação, gases e sonolência após as refeições. Por outro lado, se o alimento for bem envolvido pela saliva, não sentiremos necessidade de beber líquidos nas refeições. Como explica o Dr. Haertel, o líquido junto às refeições altera o pH do estômago (que é ácido), dificultando a digestão. O líquido deve ser tomado meia ou uma hora antes ou depois das refeições.

Por quê devemos mastigar muitas vezes e lentamente

Quanto mais mastigamos os alimentos, mais cedo sentimos  saciedade, pois o estômago manda um aviso ao hipotálamo (centro da fome), diminuindo a fome. Além de sentirmos que estamos satisfeitos, também facilitamos a digestão, já que o bolo alimentar vai chegar ao estômago já pré-digerido. Para o Dr. Jona, como as crianças normalmente copiam os pais, seria muito bom se eles pudessem fazer das refeições um momento agradável: sentar-se à mesa com toda família, não levar assuntos desagradáveis para discutir na hora do almoço, se concentrar na comida e evitar o uso do celular.  Assim, os pequenos vão crescer com um hábito saudável na hora das refeições: aprendendo a importância do ato de mastigar e a ter prazer em se alimentar!

*O Pequeno Gourmet recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no Portal

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER