Novas diretrizes da ANS para o combate a obesidade

Postado por Mamãe

Pelo visto está todo mundo se movimentando para minimizar os prejuízos causados pelo excesso de peso. A rede pública de saúde e, também, a privada estão preocupadas com o constante aumento de adultos e crianças com doenças relacionadas a hábitos não saudáveis, como a má alimentação e o sedentarismo.

Com mais de 50% da população brasileira acima do peso é preciso se perguntar quem é que vai pagar a conta dos tratamentos necessários para auxiliar os pacientes doentes. O sistema público de saúde anda mal das pernas e o privado pouco ativo em relação ao assunto.

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) espera, até o final de 2017, reunir uma série de diretrizes e protocolos para melhorar o atendimento aos beneficiários dos planos de saúde  com sobrepeso e obesos. Entre as propostas estão a recomendação de cálculo do IMC dos pacientes que buscam atendimento ambulatorial e hospitalar, sugestões para a mudança de estilo de vida como redução calórica e o aumento de atividades físicas para 150 minutos/semana.

Chamou a nossa atenção os dados da Sociedade Brasileira de Pediatria, que apontou para o fato de que a cada 5 crianças obesas, 4 permanecerão com este quadro no vida adulta.  Sendo que os períodos mais críticos para o desenvolvimento da obesidade são: fase intrauterina, os dois primeiros anos e a adolescência.

O grupo de discussão planeja medidas de incentivo ao aleitamento materno e de melhorias no diagnóstico e acompanhamento de crianças com excesso de peso, como por exemplo, encaminhamento para nutricionistas e educadores físicos.

Embora o Pequeno Gourmet, prefira trabalhar com a prevenção por meio da conscientização dos pais sobre a sua responsabilidade sobre o bem-estar dos filhos, é necessário exigir, que os órgãos de saúde se comprometam efetivamente para mudar essa triste realidade.

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER