Saiu o novo guia sobre BLW e alimentação complementar

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

Nós aqui no Pequeno Gourmet somos a favor de que os pais comecem a dar o papá para os seus filhos, de maneira lenta e gradual, respeitando o desenvolvimento de cada um. Vamos descobrir juntos o que a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que lançou o guia sobre a alimentação complementar e o BLW, pensa sobre o assunto?

Da amamentação à vida adulta

A alimentação da criança muda desde o dia em que ela nasce e começa o aleitamento materno, passando pelo seu crescimento e desenvolvimento. O lactente (bebê de 28 dias até 1 ano que mama) tem a capacidade de autorregular  o que vai comer, determinando o início da mamada, a velocidade com que suga e quando quer parar de mamar. Desde cedo, as mamães devem interpretar esses sinais para o sucesso na amamentação, alimentação complementar e formação dos hábitos relacionados à comida até a vida adulta.

Quando começar 

Nos primeiros seis meses de vida, o aleitamento materno será a fonte ideal do ponto de vista nutricional, emocional e de estímulo motor. Após essa idade, o bebê saudável já senta sem apoio, sustenta a cabeça e o tronco e segura objetos com as mãos. Confira os sinais que os pais devem ficar de olho para ver se as crianças já podem iniciar a introdução de alimentos sólidos:

  • Desenvolvimento oral: quando o seu filhote começa a falar e a ter força para engolir, por exemplo
  • Desaparecimento do reflexo de protrusão: momento em que o bebê para de “cuspir” o papá sólido que recebe
  • Aparecimento de movimentos voluntários com a língua: o que faz com que o alimento role na boca e a criança comece a mastigar

O início da alimentação complementar

  • A evolução da consistência deve ser gradual e oferecida inicialmente em forma de papas
  • Todos os grupos alimentares são dados a partir da primeira papinha principal
  • Amasse a refeição em vez de peneirar ou liquidificar
  • O ritmo da criança tem que ser respeitado de acordo com seu desenvolvimento neuropsicomotor

Guia para crianças menores de 2 anos

O Ministério da Saúde destaca também:

  • A consistência dos alimentos complementares deve ser oferecida de forma crescente: pastosa, papa e purê
  • A partir de 8 meses a criança pode receber os mesmos alimentos que a família, e eles devem ser amassados, triturados, desfiados ou cortados em pequenos pedaços
  • A alimentação complementar reforça o leite materno e não o substitui
  • É sempre bom incentivar a criança a comer nos mesmos horários das refeições da família

Para o sucesso na introdução de novos alimentos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta os pais para que eles identifiquem e respeitem os sinais de fome e saciedade, incentivando a criança a ser ativa e a interagir durante as refeições.

BLW X BLISS  

Se você acompanha o site do Pequeno Gourmet, já deve ter lido por aqui sobre BLW (Baby-Led Weaning), onde não há o uso da colher, nem papá triturado ou amassado, e quem descobre as consistências é o seu filhote. Alguns profissionais da saúde do Canadá, da Nova Zelândia e dos Estados Unidos não recomendam esse método por causa dos riscos que envolvem engasgos, asfixia e a baixa ingestão de ferro e calorias. Por isso, um grupo de estudiosos, também da Nova Zelândia, criou o BLISS (Baby-Led Introduction to Solids), método que sugere, principalmente, oferecer para as crianças alimentos preparados de uma forma que evite qualquer tipo de engasgo.

Conclusão do guia de alimentação complementar e BLW

O Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria diz que não há evidências e trabalhos publicados para afirmar que os métodos BLW ou BLISS sejam as únicas formas corretas de introdução alimentar. As orientações são coerentes com o desenvolvimento infantil, mas limitar o processo da alimentação complementar a essas duas abordagens pode não ser prático para muitas famílias. Por isso, os pais não devem ver esses métodos como a única forma de alimentação infantil.

 

Veja mais:

6 dicas do Pequeno Gourmet para Introdução Alimentar

Como a introdução alimentar pode ajudar o seu filho a mastigar melhor

A importância da alimentação adequada na primeira infância

 

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER