EM DESTAQUE

Quando a publicidade influencia a má alimentação dos pequenos

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

No Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, o Pequeno Gourmet convida vocês, papais e mamães, a uma reflexão importante: o que os nossos filhos estão vendo nas TVs abertas e fechadas, nas revistas infantis e nos joguinhos eletrônicos, que faz eles embarcarem numa onda de consumismo? Seja por brinquedos ou por alimentos, essas propagandas entram sem pedir permissão, fazendo a cabeça dos nossos filhos, na maioria das vezes de maneira errada.

Na Inglaterra, anúncios de junk food direcionados a crianças serão proibidos na internet, na mídia impressa e no cinema, após um detalhado debate sobre o dano que causam ao encorajar crianças a consumir comida com alto teor de gordura e não saudável. E o Comitê sobre Práticas Publicitárias diz que está alinhando meios impressos e a internet com as regras para a TV, mas os ativistas afirmam que isso ainda não é suficiente.

Aqui no Brasil, o Instituto Alana, uma organização sem fins lucrativos, criou o Projeto Criança e Consumo para fomentar o debate sobre o tema e sensibilizar a população para o fato de que o consumismo na infância é um problema grave e urgente, e não mais restrito à família. Para tanto, trabalhou desde sua implementação em duas frentes prioritárias: da regulação e da educação com foco em um trabalho ético e transparente de advocacy (como um processo político) que se esforça em influenciar políticas públicas, que protejam as crianças dos apelos comerciais. Além de colocar à disposição de pais e profissionais que lidam com o público infantil, instrumentos de apoio e informações valiosas sobre o impacto do consumismo na formação das crianças e, principalmente, de novos valores da sociedade.

Precisamos ficar ligados no que nossos filhos vêem, assistem, ouvem, jogam, lêem e, principalmente, comem!

 

iconComentários