16 Alimentos que crianças até dois anos de idade não devem ingerir

Postado por Mamãe

Para mim é um crime a idéia de oferecer um bolo ou balde de chocolate derretido para um bebê com o propósito egoísta de fotografá-lo todo lambuzado. Que dirá imaginar que há pelo menos 16 alimentos que uma criança com menos de 2 anos não deve comer, e constatar que a maioria destes produtos fazem parte da rotina alimentar dos bebês.

Não é fácil estabelecer um dia-a-dia saudável para as crianças, mas sem dúvida, este processo é dificultado com a introdução precoce deste tipo de produto.

Embora o artigo original date de 2014, nada mudou na indústria alimentícia desde então no que diz respeito aos “produtos para crianças” e, tampouco a sua estratégia de marketing que continuam atraindo os pais pela praticidade e os filhos com os sabores artificiais e corantes.

“Há, também, a dúvida dos pais na hora de alimentar as crianças logo depois que passam pela fase de amamentação. Quando os bebês chegam aos 12 meses, além de criarem mais autonomia pela curiosidade de experimentarem novos sabores, existem os vovôs e vovós, tios, tias, padrinhos, madrinhas e mais um monte de gente que vai querer alimentá-los com “comidinhas gostosas”, acreditando ser um agrado saudável.” afirma a reportagem.

Recomendo sempre buscar orientação de profissionais especializados e, também, utilizar o bom senso. Se um determinado alimento faz mal para um adulto, como por exemplo açúcar, sal, frituras, imagina o prejuízo que pode causar em um bebê que ainda está se desenvolvendo.

Portanto, fiquem de olho nas embalagens, observem a idade indicada para o consumo, conversem com o pediatra ou com uma nutricionista.

A seguir, segue a lista do site “Comendo com os olhos”, com 16 alimentos que devem ser definitivamente eliminados da alimentação das crianças até completarem o segundo ano de vida:

1. Chocolate Chocolate é um alimento rico em açúcar, cafeína, possui alto teor de gordura e pode causar alergia e problemas gastrointestinais. De acordo com a nutricionista Susy Graff: “apesar do chocolate ser um alimento energético e rico em cálcio, ele não oferece benefícios na dieta infantil.” “Chocolate não é uma fruta. O excesso pode causar aumento de colesterol e peso e trazer alguns problemas de saúde”, explica Susy. Portanto, nada de brigadeiro antes da criança completar dois anos.

2. Balas, pirulitos –  Açúcar em excesso faz mal, principalmente o refinado. E no caso das crianças, não estamos pensando só na saúde bucal. Ingerir alimentos como balas, pirulitos e outros doces açucarados podem provocar maior concentração de insulina no sangue, causar ansiedade e irritação nas crianças. Sem contar o perigo de engasgo.

3. Achocolatado – Para crianças com menos de 2 anos de idade, o ideal é o leite materno. Acrescentar achocolatado a mamadeira do bebê pode ocasionar as mesmas consequências relacionadas ao consumo de chocolate. A maioria dos fabricantes recomendam que este tipo de produto só seja oferecido após a criança completar 3 anos, mas muitos pais não se atentam a esta informação do rótulo.

4. Café Segundo a nutricionista e educadora Flávia Molina, “apenas crianças acima de seis anos estão prontas para experimentarem os primeiros goles de café.”  Rico em cafeína, este alimento provoca a dilatação dos vasos sanguíneos, aumenta a circulação, os batimentos cardíacos e a atividade cerebral. Portanto nada de café com leite para as crianças.

5. Salgadinhos, biscoitos e bolachas doces e recheadas “Reunião de porcarias: alimentos industrializados ricos em sódio, ingredientes transgênicos, glutamatos, corantes e gorduras. Trazem sérios riscos para as crianças podendo provocar, mais tarde, doenças como obesidade, hipertensão, colesterol e triglicérides. Evite ao máximo!”

6. Embutidos (peito de peru, salsicha, mortadela, presunto, salame) – Estes produtos são péssimos, tanto para adultos quanto para as crianças.  A OMS (Organização Mundial de Saúde) já lançou um alerta com os riscos no consumo de carnes processadas. Estes alimentos possuem sódio, gorduras, conservantes em demasia. Além do cancerígeno nitrato, a substância que dá a cor avermelhada nestes alimentos. É melhor combinar pães com queijos frescos, como a ricota e o cottage.

7. Refrigerante – Ricos em açúcar, corantes, conservantes, sódio e outros químicos são péssimos para qualquer faixa etária. Sendo que os refrigerantes do tipo cola possuem cafeína e estimulam a falta de concentração, desencadeiam a excitação, prejudicam o sono e causam nervosismo às crianças. Evite ao máximo!!

8. Bebidas achocolatadas prontas – A versão industrializada do achocolatado consegue ser ainda pior, uma vez que possui conservantes e aromatizantes artificiais.

9. Bebidas lácteas – Mais um produto industrializado a ser evitado, pois são coloridos artificialmente, possuem muito açúcar e outros químicos. Porém iogurtes naturais, sem açúcar são bem vindos. Vale a pena bater com frutas frescas ou serví-lo com granola, por exemplo.

10. Leite fermentado – Mesmo sabendo da importância no consumo de probióticos, é preciso ressaltar que este tipo de produto possui excesso de açúcar e deve ser evitado ao máximo pelas crianças menores de dois anos. Há iogurtes naturais ou feitos em casa com probióticos também.

11. Bebida à base de soja – Mais uma vez vale a pena ressaltar que até os dois anos de idade a melhor opção é o leite materno. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, produtos à base de soja só devem ser consumidos após 2 anos de idade. Excessões devem ser tratadas com profissionais especializados.

12. Petit Suisse – Queridinho de muitas mamães na hora da sobremesa, este potinho nada mais é, que um produto industrializado com corante, conservantes, emulsificante de sabor, gordura e açúcar. Com benefício zero, a melhor opção para a sobremesa dos pequenos ainda são as frutas.

13. Sucos industrializados com açúcar – Outro produto sem benefício para as crianças, principalmente para as menores de dois anos. Com excesso de açúcar, conservantes e aromatizantes artificiais, estes produtos não substituem os sucos naturais e tampouco a água.

14. Comidas prontas industrializadas (nuggets, hambúrgueres, almôndegas, lasanhas, etc) – A maioria destas comidas prontas são consideradas “comida de criança”, o que do meu ponto de vista é outro crime. Sem nenhum valor nutricional, ricos em sódio e gordura trans, eu me pergunto qual é a vantagem de servir um alimento como esse para as crianças? Oferecer uma alimentação saudável faz parte das responsabilidade dos pais.

15. Gelatina Muita gente me perguntava  porque eu não dava gelatina para o meu bebê e a resposta é muito simples, a gelatina não é um alimento nutritivo, tem excesso de açúcar e corante. O ideal seria as crianças consumirem este produto apenas depois dos dois anos de idade.

16. Macarrão instantâneo – Este recordista em teor de sódio, também possue conservantes, adoçantes e uma série de aditivos químicos totalmente dispensáveis na alimentação das crianças. Em busca de praticidade, vale a pena congelar pequenas porções do molho de tomate que você preparou no fim de semana para utilizar nos dias mais corridos. E se tiver que esperar mais de três minutos para o macarrão tradicional ou integral cozinhar, eu acredito que vale a  espera, não é mesmo?!

 

 

 

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER