Conheça as marcas que vendiam óleo como azeite e saiba como fugir dessa fraude

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

A gente já contou por aqui que cozinhar com azeite faz muito bem para a saúde de toda a família. Mas é bom ficar atenta na hora da compra. Isso porque a Secretaria da Saúde do Governo do Estado interditou cinco fábricas na Grande São Paulo e no litoral sul, que estavam comercializando o óleo de soja ou o óleo misto como também é conhecido, como se fosse azeite de oliva virgem ou extravirgem.

Fique de olho nas marcas de azeite!

Depois de uma denúncia da Vigilância Sanitária, a fraude foi encontrada nas empresas:

 Olivenza Indústria de Alimentos (que produz para as marcas Torre de Quintela, Malangueza, Olivenza, Oliveira D’ ouro, Estrela da Beira e Coliseu)

Natura Óleos Vegetais e Alimento 

Olima Indústria de Alimentos 

Paladar Importação ao Comércio e Representação de Produtos Alimentícios

La Famiglia Alimentos

Super Via Distribuidora de Alimentos e Transportes

Além de não cumprirem com as normas básicas de rotulagem, algumas dessas empresas também importavam o azeite de oliva virgem do tipo lampante (que é impróprio para o consumo) e o comercializavam sem o refino que deve ser feito antes, de acordo com a lei.

Óleo composto X azeite

Depois da inspeção, as marcas Olivenza, Natural e Olima disseram que se adequaram às regras e, a partir de agora, vão comercializar o produto com o termo “óleo composto” no rótulo. Mas você sabe qual é a diferença entre o óleo composto e o azeite, além do primeiro ser mais barato? O Pequeno Gourmet perguntou para a nutricionista Fernanda Saccoletto:

AzeiteÓleo composto
É puro óleo extraído da azeitona (oliveira)É uma mistura de até 4 óleos vegetais com o de oliva
Tem ácidos graxos monoinsaturados, que ajudam a diminuir o colesterol ruim e aumentar o bomÉ rico em poli-insaturados que diminuem o colesterol ruim e o bom
Contém antioxidantes, que fazem bem para a saúde do coraçãoPor conter gordura pode fazer mal para a saúde do coração e provocar o sobrepeso

Na hora de escolher o azeite…

Azeite virgem ou extravirgem: os azeites são sempre extraídos da azeitona, o que os diferencia é a acidez. No azeite de oliva virgem a acidez fica entre 1 e 2%, já no extra virgem ela é menor que 1%, o que torna esse tipo o mais rico em nutrientes e com sabor mais marcante.

De olho no rótulo: a acidez do azeite é medida por uma substância chamada “ácido oleico”. Quanto menor for esse número, mais as características aromáticas da azeitona serão preservadas e mais virgem será o azeite. Por isso fique atento à quantidade de ácido oleico descrita no rótulo.

Evite o óleo composto: como mostramos, esse tipo não têm os mesmos nutrientes do azeite e não faz tão bem para a saúde. O melhor é investir um pouco mais e comprar o azeite extravirgem puro para o papá da sua família.

Onde usar: tanto o azeite virgem, quanto o extravirgem podem ser usados para temperar saladas, patês, na pizza.  E também é indicado para cozinhar pratos quentes, por ser uma boa fonte de gordura. A escolha depende do quanto os pais querem investir (o tipo extravirgem é mais caro). 

Veja mais:

Papinhas prontas são proibidas pela Anvisa

OMS classifica alimentos como cancerígenos. Saiba quais são…

6 recheios saudáveis para a pizza da criançada

 

 

iconComentários

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER