Existe uma medida ideal de peso e altura para o seu filho?

Postado por Equipe Pequeno Gourmet

“Meu filho está tão magrinho!” “E o meu está gordinho, mas descobri que não tão bem nutrido como eu imaginava.” Essas frases que lemos nas redes sociais aqui do Pequeno Gourmet mostram a aflição de algumas mães com o peso ideal dos seus filhotes. Para entender mais sobre o assunto, conversamos com as pediatras Dra. Silvana Forsait, Dra. Flávia Oliveira, que também é neonatologista na clínica Medprimus,  Dra. Márcia Lika Yamamura,  acupunturista e diretora do Center AO – Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa, e a nossa nutricionista Fernanda Saccoletto.

Do que depende o peso e a altura

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) usam a tabela de crescimento infantil, que apresenta valores adequados para altura e peso ideal de cada faixa etária, de 0 até 12 anos. Assim, o médico avalia a criança, pesando e medindo, ou também calculando o IMC (Índice de Massa Corporal) para elaborar as curvas de crescimento, que devem ser sempre ascendentes. Claro que esse índice depende de vários fatores, como genética, raça, alimentação, aleitamento materno, desnutrição, obesidade, infecções frequentes, variação caso a criança tenha sido ou não prematura etc. Quando o peso e a altura não estão próximos dessa tabela, o médico avalia e pode diagnosticar problemas de saúde.

E se a curva de crescimento não estiver evoluindo?

Aí o pediatra faz interferências em hábitos de vida como alimentação e prática de esportes. Em casos extremos, há necessidade de medicamentos. É muito comum os pais darem por conta própria algum tipo de vitamina por acharem que o “filho não come direito” ou tem baixa estatura. Mas a suplementação deve ser sempre orientada e acompanhada por um profissional especializado (pediatra, nutricionista, endocrinologista, nutrólogo), pois a hipervitaminose (excesso de vitaminas) também pode se tornar um problema de saúde.

Como calcular o IMC (Índice de Massa Corporal)

Divida o peso da criança em quilos pela altura em centímetros ao quadrado. Mas atenção! Esse cálculo tem algumas características: as crianças costumam apresentar um alto índice de gordura quando são mais jovens e, conforme crescem, tendem a eliminá-la. Também existem diferenças na composição corporal dos meninos e das meninas. Por isso, o índice considera a idade e o sexo da criança.

E se seu filho estiver acima do peso, qual a melhor dieta?

Nenhuma! Não devemos falar em dieta para crianças, aliás, nem para adultos. A nossa mente boicota qualquer restrição. Devemos considerar um hábito alimentar saudável e, no caso das crianças, isso começa com o aleitamento materno. Sabia que os pequenos que foram amamentados só com o leite da mãe até os 6 meses de idade são menos propensos a doenças, incluindo a obesidade?

A importância do paladar para o nosso organismo

Na medicina oriental, quem regula todo o sistema digestório e a assimilação do que comemos é o Baço-Pâncreas. Para esse tipo de medicina, devemos preservar nosso paladar a qualquer custo. É ele que nos faz buscar os alimentos e nutrientes de que precisamos diariamente. Quando temos vontade de comer ou beber algo, por exemplo, um suco de laranja, é porque estamos precisando provavelmente de vitamina C. O corpo é sábio e, se dermos chance de escutá-lo, ele nos avisará das nossas necessidades nutricionais. Por isso, investir na formação do paladar infantil é tão importante.

Como investir na alimentação dos filhos

Primeiro de tudo vem o aleitamento materno exclusivo e a introdução de alimentos depois dos 6 meses. Nesse período, a família toda se empenha em oferecer comidinha de boa qualidade nutricional e se esforça para que o bebê aceite esses papás, respeitando os horários de comer. Passada essa fase, a tendência é relaxar um pouco na alimentação dos pequenos, como permitir que a criança troque uma refeição por um copo de leite, por exemplo, o que não é uma boa conduta alimentar. Dar bolachas, salgadinhos, não priorizar verduras, legumes e carnes pode levar ao excesso de peso. Manter a vigilância do que damos aos nossos filhos é tarefa da mamãe e do papai, que devem supervisionar sempre e evitar refrigerantes, açúcares, industrializados e congelados.

“Quando crescer, emagrece?”

Muitos pais acabam justificando a obesidade dos seus filhos dizendo que é só uma fase, mas nem sempre é assim. Os estudos mostram hoje que se o seu filhote é gordinho na infância a possibilidade de ele continuar assim quando crescer é muito grande.  Uma criança de 10 anos com sobrepeso, por exemplo, tem 80% de chance de ser obesa na vida adulta. O melhor mesmo é cuidar dos hábitos alimentares desde cedo para que seu pequeno cresça bem nutrido e no dentro do limite de peso recomendável para sua idade.

Veja mais:

Só uma em cada seis crianças recebe alimentação adequada para idade

Pequeno Gourmet no combate à obesidade infantil

Cinco maneiras de combater a obesidade infantil

*O Pequeno Gourmet recomenda a consulta de um profissional especializado em caso de dúvida quanto a qualquer informação disponível no Portal

Imagine receber toda semana uma coletânea dos posts mais legais do Pequeno Gourmet.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER